E o que não pode faltar é aquele velho tempinho para assistir um filme maravilhoso. Muitos são feitos para refletir, encorajar e ficar alerta. Outros para amar, chorar e precisar de carinho. É uma mistura de emoções que a gente nem sabe o que dizer. São filmes que foram lançados esse ano e que assistimos esse ano.

O Bom dinossauro: Gente eu nem sei o que dizer, sabe. Fui com meu filho por que achei o trailer lindo e me surpreende com o tanto de informação e emoção que esse filme passa, não só para a criança, mas para a família. Ele fala de união, companheirismo, amor e acima de tudo dos valores de uma família. Chorei horrores e cobri meu rosto com o paninho do meu filho para ele não ver kkkkk.


A Escolha: Esse eu queria ler o livro antes de assistir, mas eu não senti vontade quando a Netflix colocou eu dei um tempo para ver, mas quando assisti eu pensei: por que não vi antes? Gente o filme é lindo demais, chorei horrores também (ando muito sentimental esse final de ano). O casal em si tem ma química sem noção e o amor, a tragédia e a desilusão é um dos grandes conceitos desse filme. 


Pets: Que animação amorzinho demais. Também levei meu mini-leitor (filho) junto e ele adorou assim como eu. O que os pets penam. É uma outra forma de ver as coisas, mesmo que possa não ser igual, mas eles nos amam e nos protegem como fazemos por eles. Mostra que ter um animal em casa não é só dizer que tem, mas saber zelar por ele como um filho.


O quarto de Jack: é uma adaptação do livro Quarto de Emma Donoghue. Eu assisti esse filme em uma ganbiarra que fiz no Note kkkkkkk. (nada ilegal ¬¬). Foi indicação da Julyana do bookgram Sintonia com os livros <3 . Eu fui sem expectativa alguma e não é que eu acabei o filme em lágrimas? Quem segue nosso ig viu que falei dele por lá e NOSSA filme muito forte, para as coisas simples que ele tem. Fala de família, estupro, filhos gerados do mesmo e como se comportar com essa decisão. São assuntos difíceis e opiniões controversas e um filme muito bem feito.


A vida acontece: Bom, foi uma grande surpresa esse filme, não é recente mas só assisti ano passado. Eu o considerei como um drama pessoal, pois ser mãe tão jovem não está no plano de muitas mulheres. Me senti muito ligada ao filme por que mostra a dificuldade de ser mãe, trabalhar e não ter com  quem deixar o filho, tempo que você não sabe quando terá e namorar (Gente isso é difícil para caramba) e quando você diz que tem filho parece até que passou repelente. O filme aborda esses temas de forma cômica e não tem como não gostar.


The Game (Vidas em jogo): Gente esse é um filme super antigo e eu não sabia de sua existência. XD Meu irmão que quis  assisti e então eu fui. Esse não é qualquer filme ele tem o foco de te fazer pensar na vida. E se seu presente de aniversário fosse você saber o verdadeiro sentido de sua vida? Mudar o que era uma vida de luxo e solitária se tornar algo mais significativo? Não perca a chance de ver esse filme ele é maravilhoso.



Titulo: Novembro, 9
Autor: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 352

Skoob | Compre e Compare

Fallon conhece Ben, um aspirante a escritor, bem no dia da sua mudança de Los Angeles para Nova York. A química instantânea entre os dois faz com que passem o dia inteiro juntos – a vida atribulada de Fallon se torna uma grande inspiração para o romance que Ben pretende escrever. A mudança de Fallon é inevitável, mas eles prometem se encontrar todo ano, sempre no mesmo dia. Até que Fallon começa a suspeitar que o conto de fadas do qual faz parte pode ser uma fabricação de Ben em nome do enredo perfeito. Será que o relacionamento de Ben com Fallon, e o livro que nasce dele, pode ser considerado uma história de amor mesmo se terminar em corações partidos?


Sempre que falo de livros da CoHo sou altamente suspeita por que gosto muito do jeito que essa mulher escreve, mas percebo também a evolução de sua escrita e temas abordados.
Não é de hoje que ela gosta de causar. Tratar de temas delicados com uma abordagem bem mais macia e penetrante para o leitor. Corre o risco de transbordar lágrimas, então leia sempre com um lenço a mão.
O último que li foi Talvez Um Dia e fiquei impactada e quando comecei esse eu já senti que deveria ficar atenta. Os protagonistas Fallon e Ben se conhecem por "acaso" (depois que lerem vão saber o porque das aspas) no dia 9 de novembro um dia muito marcante na vida dela.
No primeiro instante vemos uma relação conturbada entre pai e filha e NOSSA o pai da Fallon da vontade de esganar de tão ridículo que é com a filha. A menina já se sente reclusa pelas marcas que tem no corpo e por perder a chance de atuar por causa delas e o pai acaba por deixar ela ainda mais para baixo. Não vou mentir, tem pais que em vez de levantar a cabeça do filho só faz afundar cada vez mais.

- Uma das coisas que sempre tento lembrar a mim mesma é que todo mundo tem cicatrizes - diz ela. - Muita gente tem umas ainda piores do que as minhas. A única diferença é que as minhas são visíveis e a da maioria das pessoas, não. (pág. 76)
 As vezes para uma pessoa assim é preciso um a intervenção  e é ai que o Ben entra para salvar o dia. A gente nunca está preparado para que um estranho nos defenda mais que alguém que conhecemos a vida inteira. E esse dia não podia ser mais louco. Ben é um cara totalmente descontraído e eu logo me apaixonei, tenho uma queda por rapazes que me fazem sorrir e esse não só fez a Fallon sorrir como eu. Era como eu fosse ela no exato momento em que ele aparece. <3
O dia 9 de Novembro ficou marcado. Depois de metade do dia com Ben, o escritor (apelido dado por Fallon depois que descobre que ele está escrevendo um livro) e que ele acha o encontro deles um bom motivo para escrever uma nova história e como Fallon está de mudança ele marcam a data que se conheceram para se encontrar todo ano. Não é lindo? Ahahahahahha. O livro me lembrou Simplesmente Acontece kkkkkkkkk esses aperreios do destino. E sabe lá o que pode ter acontecido durante esse longo ano longe, sem telefone, sem e-mail, sem facebook e sem nada, absolutamente NADA por que a Fallon achou melhor assim. Estranho, mas assim foi.

Nossa será que ele está...
Ele está.
-Ben - digo, semicerrando os olhos. - Você está...me booksting?
Ele ergue uma sobrancelha.
- Booksting?
- É. Quando um cara gato fala de livros com uma garota. É como sexting, só que é falando e tem livros em vez de sexo. Nem tem a ver com mensagens de texto. Tudo bem, não tem nada a ver com sexting, mas fez sentido na minha cabeça. (pág. 114)

Sabemos por alto o que se passou nessa distancia toda a cada encontro. São ao todo 6 encontros e 1 a parte por que foi o que se conheceram. Então são 7 capítulos muito bem construidos e personagens com características e presenças marcantes. A cada ano que passa conhecemos pessoas novas em volta desses dois personagens enriquecendo história. Mas como quem já acompanha os livros da autora sabe que ela adora fazer surpresas. U.U


Por isso repito: prepare o coração e a mente. Essa mulher gosta de arrasar com o leitor e da cada susto que meu pai. Não aguento. É cada tiro que se não desviar acerta.
Entrou para os meus favoritos. Um livro que trata de amor a distância, de família, de vergonha alheia, de apoio moral, de feridas que não precisam ter marcas para doerem tanto e claro temos um resquício de Tate e Miles de Ungly Love <3
Um foi a cura do outro, mesmo depois da loucura que era a vida do dois.

 
Série: Homens Marcados
Titulo: Na sua pele #3
Subtítulo: Rule
Editora: V&R Editora
Ano: 2015
Paginas: 328

[Resenha] Na sua pele #1
[Resenha] Notas quentes #2

Skoob | Compare e Compre

Rome Archer é um herói de guerra, mas acabou de deixar o exército e está completamente perdido. O mais velho e musculoso dos irmãos Archer tornou-se um animal selvagem e precisa de alguém que o pegue de jeito.
A desbocada gerente do estúdio de tatuagem Homens Marcados, Cora Lewis, sempre soube manter os rapazes na linha. Mas por trás de toda sua atitude e jeito descolado, ela sonha em encontrar o amor perfeito.
As tatuagens cheias de cores espalhadas pelo corpo dela contrastam com as cicatrizes na pele dele. Há uma grande tensão entre os dois... E quando mundos tão opostos se juntarem será como uma explosão de fogos de artifício: intensa e colorida.

Gente o que dizer desse livro. Só que é muito amorzinho. Ahahahahaahah
Quando procurei sobre a série eu já amava o Rome antes mesmo de ler seu livro, mas preferi ter calma e ler os dois primeiros até chegar nele. O homem é grande kkkkkkk e pelo livro é de todas as formas.
A série condiz com os garotos, mas esse é diferente. As marcas dele não são de tatuagem, mas sim da guerra. Só quem foi a uma sabe do que estou falando. Não são só marcas na pele, como na alma e a do Rome está bem ferida. E como se isso não bastasse o coração dele também, logo ele que era a balança da família, o prudente e o equilibrado virou desestruturado, sem rumo e indiferente.
Ninguém ousava ser tão direto com ele, pois ele que sempre era a razão dos outros até ele encontrar a Cora. kkkkkkkkk Momento maravilhoso esse.

Nós ficamos ali, no encarando em silêncio. Vi que a veia do pescoço dele estava pulsando e mordi os lábios. De repente, parecia que éramos as únicas pessoas da face da Terra, e que o tempo tinha parado naquele quarto. Eu começava a achar que minha ideia de perfeição era absolutamente chata, e que eu era uma idiota por ter pensado durante tanto tempo que era isso que eu queria. Alguém louco e descontrolado era muito mais excitante do que alguém certinho e pé no chão. Agora só precisava ser correspondida.

Assim como os rapazes ela também não teve uma vida 100% sem marcas. Ela é tatuada, mas com um coração doce, pequena, mas forte essas são algumas das suas qualidades. Ela não tem medo de abrir o verbo para os rapazes até encontrar o Rome que deixa suas estruturas desequilibras (assim como as minhas). Só a chegada dele já é de tremer o chão. Esses dois me pegaram de jeito.
O livro fala de traumas de guerra, amor, família e muita amizade. Os livros são finos e rapidinhos de ler. O legal de cada história é que você acompanha também os casais anteriores e o que anda rolando com eles nesse meio tempo. Aí da para matar a saudade.
Você vai amar o Rome, mas também vai ficar possessa em vários trechos e isso não deixa de ser uma linda história de amor. Aos poucos você também vai fazendo ligações dos outros rapazes que faltam encontrar um caminho na vida deles. O que falta em todos é isso: um foco e uma motivação. Eles tiveram lares desestruturados, todos eles e o conforto ficou na amizade, pois era isso que cria a chama, mas faltava algo para eles e a cada livro você acha o que os completa.


Não deixe de ler essa série e quem gosta de um Hot sem ser Pornô eu indico essa que é maravilhosa. <3

Nossa! Foi difícil selecionar as que mais marcaram e quantas series novas esse 2016 nos trouxe que o tempo fica muito limitado para as horas necessárias de maratonas. As séries que tiverem resenha o link estará no nome da série.


Sense8: Essa é uma série que veio para LACRAR. Sério. Muitas pessoas param por conta das cenas de sexo, mas por favor vir com pudor uma hora dessas? Brincadeira. Nem mostra nada. Enfim... A séries mostra problemas culturais, sociais e de gênero. Muita informação para uma sociedade conservadora e muitos não estão preparados para ver o que essa série tem a oferecer.


Degrassi: next class: É quase um sense8 juvenil, mas sem os senses e a parte de sexo, mas  engloba muito as questões sociais, raciais e sexuais também. A diferença é que o tema de certa forma é mais aberto não só na escola como com os pais. Eles passaram isso com outra roupagem e eu gostei muito por que não é só de preconceito que se vive, existe o lado bom também.


Stranger Things: É terror? Então vem que eu gosto. Essa série é no clima dos livros de Stephen King, com ar retrô e circunstâncias cientificamente estranhas. Na época dos anos 80 as experiências, a genética e a ciência estavam em alta. A série me lembrou muito os filmes O Nevoeiro e O Apanhador de sonhos, quem já assistiu vai entender. E uma das coisas que chamou atenção foi o fato de que os personagens chave são crianças e elas protagonizaram de uma forma que pareciam adultos e o foco da série é mostras a quebra entre nosso mundo e outro estando no mesmo espaço.Muito louco e aterrorizante.
 
  

Uncontrollably Fond: Esse ano foi tão bom, sério. Em 2016 eu descobri uma coisa tão linda: doramas... Já assisti uns 4 e quero assistir mais, porém esse em especial me tocou de uma forma tão surpreendente e pra quem leu a resenha que eu fiz no blog sabe disso. Quem não conhece ou nunca assistiu dramas asiáticos, por favor assistam, pois valem a pena e vocês se apaixonam.


The OA: Netflix só sabe lacrar com as suas séries Mano eu terminei ela faz um dia e estou numa ressaca tão brava, só olhando pra parede e pensando em tudo que aconteceu, tentando assimilar tudo. The OA virou minha favorita do ano de 2016. Sabe aquela série que te pega do início ao fim e você não consegue largar e quando acaba você quer mais? Essa é The OA <3 Se eu pudesse eu sairia com uma placa na rua escrito: "Assistam The OA", então só assistam...


Game of Thrones: Na minha lista de melhores de 2016 não podia faltar a minha série favorita. GOT está em sua sexta temporada. Com muitas reviravoltas, surpresas, teorias se tornando verdade, segredos sendo revelados, planos para tomar o trono, lutas, sangues e morte (o que não podia faltar), todos se preparando para lutar pelo trono e ainda dragões gostosos kkkkkk. E cada EP novo que saía era  um surto enorme na internet que até quem não assistia sabia de tudo. E só mais uma coisa: Batalha dos Bastardos <3




Daredevil: Já em sua segunda temporada continua contando a história de Matt Murdock e o que e quem ele precisa enfrentar para deixar a sua cidade protegida. A Marvel não decepciona e nessa temporada nova não é diferente, cada EP lhe prende do início ao fim. E não pode faltar a cena do corredor <3 e ainda conta com um anti-herói maravilhoso e que rouba a cena graças a isso vai ter série dele Aaaah <3

Esperamos que o 2016 tenha sido uma boa descobertas de mundos, personagens e superpoderes. Bjos! Edy e Mary.

Esses livro de alguma forma superam as nossas expectativas ou trouxeram algo inovador em seu enredo focando o diferente. Os que já possuem resenha no blog o link estará no nome do livro.



1. The Kiss of Deception - Mary E. Person

Eu já estava de olho nesse livro desde que vi a resenha no Geek Freak e fui atrás de tudo a respeito e quando a Darkside eu só disse: QUERO!
Por ser fantasia me ganhou logo. kkkkk Tenho fraqueza com esse gênero. Mas o que achei diferente foi você se tornar o detetive do enredo. A autora te confunde entre o príncipe e o assassino isso você terá que descobrir e é melhor ser antes de ser revelado para ter mais graça. A mocinha da história é bem diferente do que eu imaginava e conquistou meu coração. A história é na idade média e muito rica em detalhes sem parecer chato. Amei e tem resenha no blog.

 2. Talvez um dia - Colleen Hoover

Esse é um dos meus favoritos e a escrita é tão viciantes que eu só parei quando acabou.O enredo trás
alguns questionamentos, pois um dos focos principais é a traição. Talvez muitos larguem, mas o jeito como foi desenvolvido eu adorei. Nesta história ela também trata de deficiência, amizades e muita música. Gosto da CoHo tratar de assuntos fortes de uma forma diferente.





 
4. A thousand boy kisses - Tillie Cole

Eu descobri esse livro graças ao grupo de amigas no wpp: Leitura New Adult, as meninas não paravam de falar sobre o livro e não aguentei de curiosidade e resolvi ler. Sério eu fui ler sem nenhuma expectativa e ele me surpreendeu tanto que virou o favorito e de uma sensibilidade tão grande e com tantas lições de vida que é impossível não se emocionar e tentar mudar, graças a esse livro e aproveitar todos os momentos.





5. Desperately Seeking Epic - BN Toler

Outro livro que eu descobri graças às minhas amigas (obrigada amigas) foi esse e pense num livro
arrebatador (só consegui pensar nessa palavra para descrever). Não sendo diferente de A Thousand Boy Kisses ele nos dá um tapa na cara sobre lições de vida ( parece que eu gosto de lições de vida, para aprender mais), não podemos reclamar da nossa vida e sim amar cada momento e saiba que a vida é muito curta para ser sutil...



6. Novembro 9 - Colleen Hoover

Eu não poderia terminar o ano sem falar de uma das minhas autoras favoritas (e da Mary tbm): Colleen Hoover (CoHo).  Esse livro foi dificil escolher entre muitos que li dela, pois teve It ends with us (que até fiz resenha sobre ele) e que é maravilhoso, mas Novembro 9 me pegou que virou favorito 2016, não consigo colocar em palavras o meu amor por esse livro. Sério, eu comecei a ler e a cada palavra escrita me tocou e me identifiquei tanto que pensava que alguém estava escrevendo sobre mim rsrs. A Colleen é uma diva na maestria das palavras, qualquer diálogo que tem nos livros dela vira poesia. Achoo que ele é um dos meus favoritos da Colleen.


7. Too Late - Collen Hoover

Só está dando Collen aqui rsrsrsr. Essa história foi publicada no wattpad, mas como muitos ainda não Ungly Love traduziu para os fãs (super amei isso). Não gosto de ler pela plataforma, mas queria tanto ler esse livro que fui. Gente! Sem  palavras o enredo é de arrebentar com o coração e a mente, tem cenas muito fortes que a cada final de capitulo você quer saber mais por que é cada cena que você fica: What?
sabem ler em inglês a página
Fala muito de opressão feminina, escolhas, amor proibido, drogas e problema psicológico. É uma trama envolvente e eu super amei e quero ele físico, por que sim.



Essa série sei me conquistando de uma forma que nem eu sei como kkkk.
A personagem feminina é forte, o ambiente é bem descritivo, os seres que vivem por lá são fodas (desculpa a palavra, mas são) e não sei quem leu trono de vidro, mas essa outra saga não me atraiu, mas essa das cortes é maravilhosa. A Sarah tem uma precisão de bombas nessa série que NOSSA ela arrasa. Se você se você tem coração fraco, cuidado, vem revelações fortes. E claro, sou suspeita amo fantasia e essa série me pegou de jeito. Super indico.


 
9. Raio de sol

Eu irei amar e defender esse livro para sempre. Eu fui ler esse livro sem nenhuma expectativa mesmo, para mim era só mais um livro e não iria me tocar. Só que eu quebrei a minha cara com essas impressões que tinha do livro kkkkk.
Esse livro foi um presente em 2016 e um dos melhores presentes. Não consigo nem expressar em palavras o quanto esse livro é maravilhoso e precioso (só você lendo para saber)...


10. Midnight Lily

Não podia faltar na lista de melhores de 2016 a minha escritora favorita: Mia Sheridan. Teve algumas pessoas que não gostaram e outras amaram (eu). Este livro é muito controverso, porém é de uma beleza tão linda. O tema abordado nele é muito difícil ver em livros por aí, por isso ele é único. Não importa quem você é, se você é doente ou possui algum distúrbio você também pode amar e ser amado e ser a história mais linda de amor.






Esperamos por um 2017 com leituras ainda mais gostosas como essas. Bjos, Edy e Mary. <3
Titulo: Placas Tectônicas
Autor: Margaux Motin
Editora: Nemo
Ano: 2016
Páginas: 256

Aos 35 anos, Margaux Motin narra os erros e acertos que abalaram sua existência em páginas repletas de humor e realidade. Uma separação e um novo amor mudam radicalmente sua vida de mulher com trinta e poucos anos de idade; uma época em que decisões abruptas podem levar a consequências desastrosas.


Bjos e até a próxima.
GENTE PRECISO FALAR DO MEU NOVO VICIO: DORAMAS, DRAMAS OU NOVELAS ASIATICAS (COMO PREFERIR CHAMAR), E EM ESPECIAL QUERO FALAR DESSE DRAMA QUE ME TOCOU DE UMA FORMA QUE É IMPOSSÍVEL DESCREVER, SÓ VOCÊ ASSISTINDO MESMO...

Uncontrollably Fond é uma série de televisão sul-coreana exibida pela KBS2 entre 6 de julho e 8 de setembro de 2016, estrelada por Kim Woo-bin e Bae Suzy.

UNCONTROLLABLY FOND conta a história de 
Shin Joon-young é um ator que está no auge de sua carreira, conhecido por ser uma pessoa mimada, egoísta e cheio de vontades, mas isso muda quando logo no primeiro episódio ele descobre que está doente e só tem três meses de vida. Ele decide esconder isso da sua família, amigos e de todo mundo e resolve suportar isso sozinho e viver como se não houvesse o amanhã.
Do outro lado da história conhecemos No Eul uma garota pobre, que faz tudo por dinheiro. Muito jovem ela perdeu seu pai e teve que cuidar do seu irmão pequeno, ela teve que trabalhar desde cedo e agora ela é uma produtora de documentários. E o destino resolveu juntar esses dois.
No Eul para conseguir um emprego ela precisa convencer Joon Young a gravar um documentário, e com isso começa um perseguição engraçada e difícil de convencer o cheio de vontades Joon Young.
Quando os dois estão juntos em cena já vemos a química rolando e já passei a torcer pelos dois logo ali, mas eles não são meros desconhecidos.
No Eul era apaixonada por Joon Young na adolescência, porém Joon Young estava namorando sua amiga Na Ri, fazendo com que No Eul reprimisse seus sentimentos. As circunstancias da vida fizeram com que se encontrassem e logo depois eles tomaram rumos diferentes.
Para aproveitar seu curto tempo de vida e reconquistar seu antigo amor ele aceitou gravar o documentário. E assim vamos ver tudo que eles passaram para ficar juntos, aproveitando a vida ao máximo.


Mas esse drama não se trata apenas de um romance, mas trata questões como honestidade, justiça, orgulho, amor à família, sede de poder, sobrevivência, amor sem egoísmo.
Com muitas reviravoltas, intrigas, romance, choro (PREPARE MUITOS LENÇOS) e um final fofo e além das expectativas. Esse drama coreano vai lhe deixar numa ressaca (QUE VALE TOTALMENTE A PENA, JÁ QUERO ASSISTIR DE NOVO).
ALÉM DISSO TUDO TEM AINDA UMA OST MARAVILHOSA, SÉRIO. SÓ VEJAM ESSE VÍDEO E SE APAIXONEM TAMBÉM (ESSA É APENAS UMA DAS MÚSICAS MARAVILHOSAS): https://www.youtube.com/watch?v=aHmp0UTy8AM

Você que está lendo essa resenha pode estar receosa de assistir esse drama por achar a história clichê ou até um versão coreana de A Culpa é das Estrelas, mas esqueça tudo sobre isso pois esse drama não se compara a nada disso e só vai lhe surpreender. O que foi mais lindo de assistir ele, apesar de toda a bad, a raiva, choro e alegria, é as mensagens que são deixadas como reflexão: Você já viveu tudo que queria viver? Você aproveita todos os momentos que lhe são dados sem reclamar? Você vive plenamente sem arrependimentos? Você é feliz por ser quem você é agora? Você aproveita cada momento que passa ao lado da sua família, amigos? Você ama com todo o seu coração ou está focado apenas em você?
SE VOCÊ FOSSE MORRER AMANHÃ VOCÊ VIVEU TUDO QUE QUERIA VIVER?

“Crie o mundo que você acredita com suas próprias mãos, Eul. Não seja só uma miserável ou perca tempo dando desculpas. Se você não perder, você vai ganhar...”


“De certa forma, perceber como o tempo que temos é finito revela a verdade que estivemos escondendo dentro de nós. E pode ter sido uma benção final que me concedeu coragem.”



Espero que Gostem, darlings :D
~ Edy Darcy <3

Titulo: Vamos juntas?
Subtitulo: O guia de sororidade para todas
Autor: Babi Souza
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 144

Skoob | Compre e Compare

Toda mulher já se sentiu insegura na hora de sair sozinha na rua. O risco de ser abordada, perseguida ou assediada é uma realidade. Mas, um dia, uma moça chamada Babi Souza teve uma ideia simples e revolucionária: da próxima vez em que você estiver sozinha, olhe para os lados. Pode ter outra mulher andando na mesma direção. Por que não vão juntas?
Logo, o movimento Vamos Juntas? conquistou moças em todo o Brasil, se tornando um símbolo de união feminina e feminismo, na defesa por direitos iguais entre homens e mulheres. Aos poucos, muitas mulheres mudaram sua forma de enxergar o dia a dia e a moça ao lado.
Além de dados sobre o feminismo, que mostram como ainda há tanto a ser conquistado, este guia traz relatos de mulheres que aprenderam, junto ao Vamos Juntas?, a enxergar companheiras umas nas outras. A se unir, ao invés de rivalizar.

 Quando este livro saiu e eu vi o primeiro post compartilhado no meu Facebook eu pensei: quero ver o que é. Pode ser mais um movimento feminista radical.
Sim, pensei dessa forma, pois como sempre falo para algumas amigas: o que mata o movimento não é a ideologia (por que é maravilhosa), mas sim as pessoas que não sabem usa-lo como deve ser.
Quando chegou a BF eu não resisti, tinha que comprar e assim que peguei em mão eu tinha que ler. Queria tirar minhas conclusões sobre o movimento e saber se era realmente como eu pensava e como eu queria que realmente fosse. Não me decepcionei. Gastei praticamente a quantidade de Post it que nunca gastei em livro nenhum. Achei que seria mais grosso ou maior, mas não importou nada disso o conteúdo está devidamente explanado e com dicas maravilhosas.


No livro a Babi deixa claro o que é o Vamos juntas?. Agora tenho um nome para o que eu faço quando desço às 11:40 do ônibus todos os dias voltando para casa da universidade e tem sempre um senhora que desce comigo. Sabe, não custa nada e você ainda ganha uma boa conversa e conhece outras mulheres que com certeza deve ter o mesmo medo que você de andar sozinha em uma rua altamente deserta.
Fala sobre a sororidade. Eu nem fazia ideia do que isso queria dizer, na verdade nunca nem tinha ouvido essa palavra, mas hoje eu sei.

Sororidade vem de "sóror",que no latim significa "irmã"; é a ideia de um grupo de irmãs, mulheres unidas.
  Mas também temos que ficar a par que há mulheres que não se importam com isso,com essa "liberdade" que muitas querem obter. O livro deixa bem claro, nós temos que empoderar nossas irmãs, se ela não quer sorria, por que ela "escolheu" não querer.
O livro mostra degraus das conquistas das mulher com o passar do tempo e também as mulheres que marcaram história e muitas pouco ouvimos falar, mas que deixaram um marco na história e na vida de várias mulheres. Sabe de uma coisa que eu adorei no livro: a linguagem fácil, uma explicação básica e focada e um ar não agressivo e simplista.



Tem vários momentos em que as mulheres não se ajudam, não só por que não querem, mas pelo retrocesso cultural ainda existir como por exemplo: A rivalidade feminina e o caso que eu bato muito sobre o relacionamento monogâmico. Este primeiro é citado no livro como "um mito próprio de ideologia da dominação masculina", posso concordar em partes, já que há mulheres que tem esse negócio de chegar em festa e medir a outra ainda mais quando está com o companheiro. Triste, essa é a realidade. O segundo eu fico pasma com a loucura de algumas. Quando o homem trai ela vai lá e pede satisfação para a outra mulher, serio? Pois é, em vez de chamar o cara vai chamar a mulher e ele fica lá de boa com o ego inflando que nem pavão por que duas mulheres estão brigando por ele. Isso não é justo!
O livro é um impulso para que as mulheres encontrem sua força com depoimentos de deixar o coração triste em ver o quanto estamos exposta a perigos e por uma falta de comunicação não protegemos umas as outras. Além disso, o livro nos das os conceitos das ideologias para não confundirmos uns com os outros. Existe uma página do livro que antes dele se tornar físico o movimento já tinha ganhado forma e deixando cada vez mais as mulheres alertas as coisas ao seu redor e as outras mulheres que podem estar em situação de risco e precisando de uma igual para ajuda-la.
Quem sabe essa mulher não seja você? Pense nisso!


Página do movimento clique aqui
Site do movimento clique aqui
Direção: Scott Hicks
Elenco: Addison Timlin, Jeremy Irvine, Harrison Gilbertson e mais..
Gênero: Drama, Fantasia, Aventura e Suspense
Nacionalidade: EUA

Responsabilizada pela misteriosa morte de seu namorado, Lucinda Price (Addison Timlin) vai para um reformatório. Em Sword & Cross ela se aproxima de Daniel Grigori (Jeremy Irvine), sem saber que ele é um anjo apaixonado por ela há milênios, e também não consegue se manter afastada de Cam Briel (Harrison Gilbertson), outro que luta há tempos por seu amor. 

Minhas Impressões:

Quando saio a novidade que o filme de Fallen poderia acontecer eu gritei de felicidade, por que foi a primeira série que li na vida e em um momento de estrema sensibilidade sentimental.
Foi minha primeira história sobre anjos e no meio disso já estava intercalando outra série a Beijada por um anjo. <3
Esperei muito assim como vários fãs essas filmagens que nunca acabavam e esse filme que nunca saia. Se me decepcionei? Não, mas como a maioria dos filmes nem tudo aparece e o o essencial eles colocaram.
O filme trouxe a tona as partes mais importantes como: O que aconteceu com Luce antes de entrar na Sword & Cross que diga-se de passagem eu amei. Esperava um pouco maior, mas amei.


 Amei o espaço. Ficou rico em detalhes e não sobrou nada para dizer que aquela não era a escola do livro. Os efeitos em algumas partes ficaram a desejar e eu como amante de fantasia isso conta muito. Tenho certeza que uma coisa que ficou em cheque quando foram anunciados os atores para o filme foi o Cam. Gente todas amam o quem forever e você vê um ator que ao meu ver parecia uma criança, sério, uma criança e quando eu chego na sessão já com o coração na língua pensando na cagada que iria ser eu me surpreende. O filme foi introdutório, já que uma boa parte que poderia se interessar não leu a serie ou nem o primeiro livro, muitas partes foram explicativas e no livro não ocorre dessa forma, você vai entendendo com os seguintes. Muita coisa que ainda iria acontecer mais a frente foi explicada neste primeiro filme (espero que tenha os outros, cruzando os dedos). Podia virar série, acho mais jogo. #focaadica


TERÁ SPOILER A SEGUIR, CUIDADO!!!!!!



Sobre os personagens:

De primeiro instante os outros anjos não tem uma participação crucial. Os personagens que ficaram idênticos a minha imaginação foram a Luce, Daniel, Todd e a Gabbe e mais ou menos a Ariane. Em questão de atuação, bom o Cam me surpreendeu e a carinha de menino sumiu. Mas o destaque mesmo que eu creio que roubou a cena foi a atuação da Penn que é um dos personagens que amei no primeiro livro. No filme a morte dela foi tão sem sal :´( e no livro foi dolorida demais. Tipo tu se a pega e do nada tem que se desapegar não é fácil e não foi para mim. Não vou mentir que a menina tem um toque de Bella Swan kkkkkkk. A Gabbe é como imaginei <3 . Um detalhe que fica toda hora na cara é o povo dizendo que ela vai morrer em quase todo o filme, sendo que no livro a gente só descobre depois de um tempo.


O triângulo amoroso:

No filme ficou razoável. Não deixou tão na cara, ela parecia mais confusa que interessada. No livro ela gosta do Daniel, mas a atração pelo Cam também é grande tanto que o beijo deles foi com vontade até demais e no filme ficou meio estranho e a entrada do Daniel também. Não sei se quem não leu e estava na sessão viu com clareza.

O meu foco mais importante foi ver um dos meus livros favoritos se tornar real. Não vou dizer que o filme foi o top por que não foi. Mas foi razoável, gostei da adaptação e se tiver continuação (que eu espero que tenha) seja que nem serie do netflix começa raladinha e depois toca o foda-se.

Trailer:



Bjos e até a próxima.
Série: Corte de Espinhos e Rosas
Título: Corte de Névoa e Fúria #2
Autor: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Ano: 2016
Páginas: 658

Skoob | Compre e Compare

[Resenha] Corte de Espinhos e Rosas #1

O aguardado segundo volume da saga iniciada em Corte de espinhos e rosas, da mesma autora da série Trono de vidro Nessa continuação, a jovem humana que morreu nas garras de Amarantha, Feyre, assume seu lugar como Quebradora da Maldição e dona dos poderes de sete Grão-Feéricos. Seu coração, no entanto, permanece humano. Incapaz de esquecer o que sofreu para libertar o povo de Tamlin e o pacto firmado com Rhys, senhor da Corte Noturna. Mas, mesmo assim, ela se esforça para reconstruir o lar que criou na Corte Primaveril. Então por que é ao lado de Rhys que se sente mais plena? Peça-chave num jogo que desconhece, Feyre deve aprender rapidamente do que é capaz. Pois um antigo mal, muito pior que Amarantha, se agita no horizonte e ameaça o mundo de humanos e feéricos.



Não sei se minha resenha será condescendente a tudo que li neste segundo livro da série das Cortes. Eu apenas não sei como a Sarah consegue fazer milhões de coisas em um só livro e ainda deixar um rombo para o próximo.
Não consegui me apegar a sua outra série Trono de Vidro, mas desde que vi o primeiro de cortes eu pensei em dar uma chance só pela sinopse e não me arrependo disso.
 
QUEM NÃO LEU O PRIMEIRO POR FAVOR LEIA ANTES DE COMEÇAR A LER A RESENHA EXPOSTA AQUI.

No primeiro livro conhecemos mais a fundo a Corte Primaveril e Sob a Montanha. Sobre o relacionamento da Feyre com seu digníssimo Tamlin. Bom eu gostava dele, das cenas dos dois é rolava uma química boa. Mas percebemos o quanto o relacionamento era frágil. O medo era superior a algo que pode ser tão bom. Não to criticando, mas é notável.
Neste segundo livro ela fecha vários buracos do outro como: conhecer um pouco mais sobre Phytian, o que será que Rhysand viu antes de se despedir da Feyre ou o que aquela ligação entre os dois pode gerar nesse segundo livro? Essas e mais algumas questões você vê no Globo Repórter. Kkkkkkkkkk
Sério, é muita pergunta é muita resposta para um livro e a grossura faz jus à tanta atenção. Eu já amei o Rhys (para os íntimos) desde sua primeira aparição em Corte de Espinhos e Rosas. Neste conhecemos melhor a Corte Noturna e por que seu Grão-Senhor é considerado o país temido e poderoso. Posso dizer que por traz de um grande poder vem grandes responsabilidades e por detrás de uma máscara de frieza há um coração maleável.
— A nobreza da Corte Noturna se divide em três categorias: aqueles que me odiavam tanto que, quando Amarantha assumiu, se juntaram à corte dela e depois acabaram mortos; aqueles que me odiavam o suficiente para tentar me derrubar e enfrentaram as consequências disso; e aqueles que me odiavam, mas não o suficiente para ser burros, e desde então toleram o reinado de um mestiço, principalmente quando ele raramente interfere em suas vidas miseráveis.

Uma nova guerra está prestes a acontecer é mesmo assim não se perde o humor e nem a tiradinhas sem vergonhas. Kkkkkkk Esse livro estar cheio delas e claro acompanhadas do Rhys. 

Tente não gemer alto demais quando sonhar comigo. Preciso de meu sono de beleza. Eu me levantei, joguei o bilhete no fogo e fiz um gesto vulgar para ele. Podia ter jurado que uma gargalhada ecoou pelo corredor.


Também acompanhamos a lida de nossa heroína em tentar se encontrar no seu novo mundo e sua nova vida. Nada é fácil mesmo depois de tudo que aconteceu. Ela precisa respirar, mas poucos percebem isso. A matam aos poucos e sua única esperança vem de quem ela nunca pensou precisar. A Sarah pelo que vi de comentários da outra série ela gosta de triângulos amorosos e nesse desde o começo eu já sentia, mas até que foi super de boa. Mas claro, quem amou algumas coisas ou pessoas no primeiro se prepare para o terremoto, por que estruturas serão derrubadas nesse segundo volume. Descobre-se tanto podre desse mundo e o quanto o mundo humano é camuflado também que eu fiquei de queixo caído.


Amei poder ter noção do que a Feyre e em alguns momentos o Rys pensavam é sempre bom ter uma perspectiva dos fatos vistos de quatro olhos e duas mentes diferentes.
Uma outra coisa que não poderia faltar são os novos personagens e os membros da Corte Noturna dão um show de talento. Sério, eles são demais. Eu super amei todos. Cada um com seu jeito maravilhoso de ser. Mor, Cassian, Armen e Azariel são o corpo de Rhys, seus membros e órgãos vitais. São sua frente armada. Eles são a fortaleza de sua corte. Ao meu ver não poderia ter escolhido pessoas melhores. Preciso de um spin off para eles, por que eu amei tão quanto os principais.
Esse livro é +18 :D !
Tem umas cenas que benza Deus, elevou meu cosmo as alturas. Kkkkkkk Se não leu corra para saber os detalhes sórdidos.
— Estou pensando —disse ele, seguindo o movimento de minha língua no lábio inferior —que olho para você e me sinto como se eu estivesse morrendo. Como se não conseguisse respirar. Estou pensando que a quero tanto que não consigo me concentrar na metade do tempo que estou com você, e este quarto é pequeno demais para que eu me deite com você direito. Principalmente com as asas.

Se você gosta de surpresas, ou melhor, bombas venha lê-lo, por que cada capítulo você leva um tiro. Literalmente.
Os humanos que se segurem, pois o seu habitat está por um fio e eu posso garantir que a guerra passada foi fichinha perto da que está por vir. A leitura é ótima e não é cansativa nem pela quantidade de folhas, mas ler o livro e ficar olhando aquela grossura que parece não diminuir eu adiantei no pdf. Kkkkkkkkk Andei de capítulo que foi uma beleza.
Já quero o terceiro por que esse eu to sentindo que cada página foi feita com sangue, logo, tome cuidado por que não é só as nossas mãos que podem se sujar.


Bjo e até a próxima!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...